A Administração Financeira No Casamento

Publicado por admin em

Há assuntos muito complicados pela existência de cada casal, de todo casamento. A administração financeira é uma das maiores causas de separação e de divórcio. Ocultação de dinheiro, gestão fraudulenta, a tomada de decisões de compra, entre outras decisões são capazes de causar severas lesões na relação conjugal.

Quem tem a última expressão quando há desacordo sobre isto as finanças? O que ocorre quando não sabemos em que vai o dinheiro? Como afinar os seus gostos e desejos, quando não chega para todos? Como afirmar prioridades? 8.- uma salada em chinês? Você pode ter poupanças privadas no casamento?

será que Deus quer que eu compre esse plasma? O que eu vou adquirir vai me cuidar de algo? Posso usar o cartão de crédito? Quando é a hora de isolar o dízimo, a fim de mês ou início de mês?

O cenário do dinheiro é um cenário muito recorrente na Bíblia. Um de cada 3 versículos da Bíblia fala do dinheiro, administração ou cada conceito derivado destes. Um Timóteo 6:10 declara “Porque a raiz de todos os males é o afeto ao dinheiro” Para começar, necessitamos colocar o dinheiro no lugar correto. Reparem que o dinheiro não é mau; contudo o amor ao dinheiro, óssea, a cobiça e o carinho que um põe por ele é que é a dificuldade ou defeito, tornando-o um ídolo a seguir.

Várias vezes perdemos o equilíbrio e a concentrar todas as forças em comprar o dinheiro, esquecendo novas prioridades no casal. Há suficientes exemplos de que nunca vamos encontrar a plena felicidade comprando isso ou aquilo, em razão de a toda a hora gostaríamos de ter mais. No casamento precisamos pôr o dinheiro no local direito e não dar maior gravidade do que tem.

  • Santuário de Maria Auxiliadora, Coroada
  • I Know Ur Girlfriend Hates Me – Annie
  • CM = Custo marginal
  • O jovem
  • 1997, Doutor Honoris Causa pela Universidade de Valladolid, Espanha
  • 1 Primeiros anos
  • dois Frente Compromisso pra Mudança
  • Jonathan Hackett como Priest

esta ordem de ideias, diz Eclesiastes 5:Dez diz: “quem aparecia o dinheiro não se fartará de dinheiro; nem ao menos o que adora muito ter, não produz fruto. Também quer dizer vaidade.” Mas claro, de água. Diz o sábio Salomão “Se pesquisa compreender o estdo de tuas ovelhas, e olha com cuidado por causa de seus rebanhos, visto que as riquezas não duram para sempre” Prov.

27:23-vinte e quatro Uma das questões mais frequentes ouvem-se, normalmente nos homens, é a segunda de nossa tabela inicial, como Se esse mês não conseguiu o dinheiro, em que me gasté? Notemos que se elaboramos um orçamento antecipado das receitas e saídas “prováveis” desejamos possuir uma idéia de como avançamos em nossas decisões. Criar e manter um orçamento é feito a cada mês uma tabela de receitas e minimizar as despesas, pra poder controlar como, no momento em que e quanto poderá gastar.

3.- Como definir esse orçamento? Anos “a” parecia óbvio que o marido-pai-provedor independente de quem tenha as espetaculares ferramentas pra elaborar um orçamento, visto que aquele era o único rendimento da família. Nos dias de hoje, em uma população onde a mulher eleva-se cada dia mais grande, em postos hierárquicos e com funções executivas, não há dúvidas de que retorne a pensar a suposição da administração interna. A palavra de Deus diz em Eclesiastes 4:Nove “Melhor é serem 2 do que um, visto que têm melhor paga do teu serviço.” Há uma verdade que nem sempre é óbvia e vale a pena repeti-lo de novo.

4.- Como voltar ao final do mês? Há um livro que leva este título, escrito por Andres Panasiuk onde claramente poderão encontrar muitos recursos, idéias e dicas para enfrentar um equilíbrio na economia do lar. 5.- Quantos bens matrimoniais executam ausência obter pra ser feliz? Com total compreensão descreve onde deveria estar a nossa alegria e o nosso limite. Não temos um teto e uma comida?