Antonia San Juan

Publicado por admin em

Vem transparente, tal e como quer ser séria, ambiciosa, feliz, feminina, rubísima. Visceral em tudo, “eu sou uma Lola Flores”. E o namorado que a chama: “Amor, que te pretendo”. Tem nos olhos um gesto algo torvo e na boca um sorriso ladeada que algumas vezes lhe oferece, como um tique. Ao pronunciar-se-se apalpa o rosto com as mãos pequenas, dando pancadinhas, como fazer circular o sangue, por tua tez pálida e irregular.

posteriormente, leva as mãos ao peito, honesto e volumoso de baixo de uma t-shirt escassa; e lá fora, pela Gran Via em Madrid, o termômetro alcança os zero graus. Antonia San Juan é palpável de satisfação: a existência é o que tinha sonhado toda a sua vida, a sua história não é senão o que ela foi idealizada.

Não acredita em destinos ou azares nem existência depois de esta, só acredita no seu talento e além de tudo na potência de teu serviço: 20 anos subida a um piso de madeira. O teu não tem sido um sucesso descomplicado. Reivindica o interesse que carrega em tuas costas e está disposta a provar o seu valor dramático.

iniciou-Se nos seus jogos de garota solitária (coimbra, 1961), bonecos, sopitas e reduzido; cresceu ao lado de uma avó candorosa, rodeada de prêmios e brindes que colmaran a tua solidão: atuava inventar o mundo. Seguiu inventándolo no tempo em que fazia as malas, a caminho de Madrid, a aula de teatro da escola: Vinte anos, delineando monólogos, escupiéndolos subida a alguns fóruns de conversa.

, E desse jeito por diante, até que Almodóvar sentou-se entre o seu público e se convenceu a si mesmo de que ela era a atriz impecável para um dos protagonistas mais comprometidos do que nunca tivesse escrito. Asfalto (filme de Daniel Calparsoro) e recebe em sua moradia hífen paladas.

A entrevista, pro realismo, o fazemos sobre o teu piso de madeira de comediante no Mad Café de Madrid. PERGUNTA.-“Uma atriz dramática com uma vida de comédia”. RESPOSTA.-É essa descrição é minha? Não me lembro (uma atriz dramática com uma vida de comédia), porém assim como não desmiento: me cabe.

P.-O que sim é certo é que é você que sonhou ser. R.-Totalmente: a minha vida é tal qual eu a desejei. Mas ainda estou começando, tenho que trabalhar muito pra provar que sou uma interessante atriz. E assim como não irei dizer que tenho tudo, pelo motivo de eu não desejo que ninguém me inveje e se desfazer o fígado por mim. Eu sou feliz, a toda a hora o fui.

  • 877A29-jul-2016 11:47
  • o Meu namorado é muito extenso e no momento em que me penetra, me dói, o que podes fazer
  • o que faixa de preços se movem
  • Diz ser o outro

P.-Segundo isso, a vida é uma fábula que um se constrói à proporção? R.-Absolutamente. De cada maneira, todas as memórias de minha vida são agradáveis. Não houve aflição ou aborrecimento na minha existência. R.-Não, gravava monólogos; entretanto sim desejava preencher um espaço na cena, e deste modo foi.

P.-Uma fábula muito ambiciosa. R.-Eu sou muito ambiciosa. Há uma única existência pra fazer tudo o que quiser: eu não acredito em nada que não seja o que se toca. P.-Não lhe oferece vergonha de falar a tua pretensão? R.-Não, visto que não me parece nada mau. Também sou muito invejosa e muito ciumento: são ingredientes da situação humana, que nos fazem desenvolver-se: se os outros conseguem, eu bem como posso.