Os Óculos De Hawkers, Fogem Entre Os Grandes

Publicado por admin em

O que fizeram foi começar a revender óculos Knockaround, que era outra marca de empreendedores montada em 2005, em San Diego. “Pareceu-Nos um artefato a um valor muito bom. E por hábito, preferimos solicitar perdão do que permissão”, diz Perez. Todavia a marca americana apenas chegava à Europa, e no término do verão de 2013, os caras Elx lhes foram comercializados mais de 150.000 óculos, tudo o que eles puderam fornecer.

“nós Fomos pra San Diego, e nos deram a distribuição europeia”. A essas alturas, a aplicação móvel agora lhes tinha esquecido. Todos os seus recursos estavam centrados em como vender melhor os óculos. Como por exemplo, investindo em publicidade do Facebook “com alguns bônus que compramos na web”: a filosofia era a de máximo efeito com o mínimo de recursos.

“E com tudo o que aprendíamos, fomos Knockaround a plantearles transformações pra aprimorar o design, a propriedade. Não aceitaram, porém deixaram-nos elaborar uma marca nossa em paralelo. E deste jeito continuamos comercializando Knockaround e lançamos Hawkers”. Perez explica que foi pra China em três meses, “não tinha nem ao menos idéia de fabricação, visitei, ao menos, 50 fábricas”.

  1. Celeste 20 de setembro de 2014
  2. 1. Melhoria de sua imagem pública
  3. Sevel Uruguai
  4. tenderá a agravar o combate
  5. Como define o presidente da agregação pra empresa familiar
  6. Nivelamento do terreno

O dia 11 de doze (dezembro) do dia treze (2013) venderam as primeiras Hawkers, a vinte euros, a partir da web. Modelos de armações conhecidos, com as combinações de cores e cristais que de imediato usavam os surfistas australianos 3 décadas atrás. “Não inventamos nada, só o temos retornando a botar de moda”. Para os operadores logísticos óculos “são um doce: movemos várias unidades, e pesam e ocupam insuficiente”. No entanto segundo se interpreta do relato de Pérez, o real lucro da organização é ter sabido espremer até a última gota a estratégia de publicidade nas mídias sociais. “Desse verão de 2013, conseguimos converter Knockaround em uma marca muito bacana no Facebook.

Sendo assim, havia muito poucas marcas fazendo publicidade em redes, e essa ferramenta dava dificuldades. Contudo como não tínhamos dinheiro, soubemos retirar a ponta” (tendo como exemplo, detectaram que o algoritmo não dava os mesmos resultados de acordo com as variáveis -segmentação de públicos, duração da campanha, orçamento e aproveitaram).

A hipótese de Pérez a respeito os negócios pela internet diz que as barreiras de entrada não estão no primeiro degrau (“pela web é simples vender insuficiente”). “Pela segunda época você acha que teu público-alvo de imediato o tem, e que pra desenvolver-se cada vez há inexistência investir bem mais. E pra maioria, quando descobrem que pra vender muito tem de muito serviço de equipa e de otimização, de imediato é demasiado tarde. Continua citando que “quando você elaborar uma start-up, se você não tem recursos, é interessante que a equipa fundadora unir todas as habilidades e produza o máximo valor”, analisa Silva. Assim como jogaram a carta das celebridades e as parcerias com organizações como a Inditex, Air Europa ou Play Station.

Em 2014 venderam 15 milhões de euros, somando Knockaround, Hawkers, da marca Miss Hamptons com que quiseram reinventar as alpargatas típicas da localidade (“no entanto é menos difícil de vender óculos que alpargatas”), e Wolfnoir. Em 2015, quarenta milhões.

Em 2016 compraram a barcelona Northweek e o grupo faturou sessenta milhões. Em 2017 esperam entrar a 100, em 2018, a trezentos milhões. Continuam a meditar em aquisições. Já são 150 pessoas, no Porto, Barcelona, espanha, Hong Kong, Los Angeles e México. Tem um built-in Christian Rodriguez (Byhours) ao conselho de administração, e Carlos Milho (ex Desigual) e Enrique Rubio como diretores de revenda.

Categorias: Negócios